Categorias
Uncategorized

PDV: Entenda tudo sobre a frente de caixa

A utilização de um sistema PDV (ponto de venda) em seu estabelecimento é de extrema importância, pois, seu negócio pode ser bom, oferecer um excelente atendimento e preço justo, porém, caso o cliente fique muito tempo na fila por conta de um sistema travado, isso prejudica muito suas vendas.

PDV

O que é a Frente de caixa: A frente de caixa — também chamada de Ponto de Venda (PDV) — é a área onde os clientes finalizam suas compras, verificando o valor total e fazendo o pagamento devido.

Implementar um sistema de automação dos processos do ponto de venda é essencial para o bom funcionamento e a eficiência das atividades. Processos mais rápidos são importantes para a satisfação do cliente o que resulta rapidamente em melhores números

de vendas.

Alguns procedimentos básicos que são comuns em todos os softwares PDV:

  • Cadastro de fornecedores;
  • Cadastro de mercadorias que serão comercializadas;
  • Cadastro de insumos e materiais de consumo;
  • Cadastro de vendedores;
  • Cadastro de alíquotas fiscais;
  • Cadastro de estoque.

Benefícios e ferramentas do sistema Frente de Caixa

O sistema Frente de Caixa – PDV é estruturado em três processos ou ferramentas:

O Terminal, que é onde fica a máquina com integração no pagamento do cartão, a caixa registradora e a impressora de documento fiscal.

O sistema, que integra o Frente de Caixa com os processos de controle de estoques e finanças em uma única interface.

E o controle financeiro, que comunica diretamente com bancos e estrutura de forma automática entradas e saídas da empresa.

Além desta ferramenta são inúmeros os benefícios da implantação de um sistema Frente de Caixa – PDV para os varejistas.

Ele traz para as empresas agilidade no processo de finalização das compras e no atendimento ao cliente.

Além de fortalecer a atração e fidelidade do cliente, uma vez que seu atendimento acontece de forma ágil.

Reduz o risco de erros e falhas, pois, a integração e automatização de processos alimenta dados de diversos setores da empresa.

Invista num sistema de Frente de Caixa

O nosso sistema CM-PDV foi desenvolvido com as mais modernas tecnologias de TI e com as melhores práticas de Gestão Comercial.

Ele se integra ao sistema ERP da Totvs, SAP e muitos outros principais ERPs do mercado, facilitando a integração e gerando informações concisas ao retaguarda. Além disso ele está preparado para emitir todos os documentos fiscais de todos os estados emitindo, Sat Fiscal CF-e, NF-ce e Nota Fiscal Eletrônica. Homologado ao PAF-ECF e ao TEF das principais marcas (PAY-GO, SITEF E AUTTAR).

Solicite uma demonstração e um orçamento com nossa equipe comercial!

Clique aqui e entre em contato!

 

Categorias
Uncategorized

Como escolher o nicho de mercado certo para seu e-commerce

Escolher um nicho de mercado para o e-commerce pode ser uma tarefa complicada. Pois a escolha errada do nicho pode acarretar em prejuízo.

Para você não cometer este erro, que tal entender um pouco mais sobre nicho de mercado e como escolher o certo para o seu tipo de negócio.

O que é nicho de mercado?

Saber o que é nicho de mercado é muito importante, principalmente se você está iniciando com suas vendas online. Pois, ao estabelecer qual o nicho de mercado, você conseguirá planejar suas vendas e focar apenas naquele segmento.

O nicho de mercado é uma segmentação ou recorte de um mercado. Ou seja, é a identificação de um grupo menor dentro de um setor com necessidades e interesses específicos. Com isso, fica mais fácil entender qual o público-alvo, pois esses consumidores estão com problemas específicos que ainda não foram resolvidos.

Um nicho de mercado, então, é um segmento no qual as necessidades dos consumidores são pouco exploradas.

5 dicas para escolher o nicho de mercado certo

1- Faça uma lista com produtos de interesse

Na hora de criar sua lista, pense em produtos que você gosta, pois irá precisar entender tudo sobre seu produto.

Busque vender algo que não possui muita concorrência, pois, dependendo do tipo de concorrente, suas vendas podem cair muito.

Portanto, antes de mais nada, liste produtos de sua preferência. E seu nicho começará a se desenvolver.

2- Amplie as possibilidades de busca

Depois de criar a lista, analise os nichos que sejam rentáveis, de acordo com seus gostos. Pense em produtos que você buscou na internet e não encontrou, pois isso, é um sinal de que não existem concorrências no ramo.

Isso tem muito a ver com a otimização da sua loja virtual para aparecer facilmente nos mecanismos de busca.

Outro ponto para analisar as possibilidades de busca é pensar em produtos que são tendência, ou seja, que possuem grande procura.

3- Analise a competição do nicho

Com o nicho já escolhido, é hora de estudar a concorrência. Estudando a concorrência, você pode analisar se está apto a concorrer neste nicho. Pense em qual seria seu diferencial competitivo dos seus produtos em relação aos dos concorrentes.

Para não ter problemas, pesquise seus concorrentes, entenda como é a forma de trabalho deles e como é a experiência de compra em seus sites. Após muita pesquisa, você estará apto para suprir pontos que são falhos em seus concorrentes.

4- Foque em um público específico

Com a escolha do nicho, chegou a hora de entender seu público-alvo, pois o sucesso do seu negócio depende exclusivamente disso.

Estabeleça o perfil de sua persona, e então, você saberá em quais meios oferecer seus produtos, qual a campanha de marketing ideal e qual as necessidades de seu cliente.

5- Faça testes

Você só saberá se deu certo, se tentar!

Quando tudo estiver decido, chegou a hora de testar. Assim, você saberá se sua ideia terá potencial para crescer. Isso significa que você precisa ficar de olho e analisar muito a quantidade de vendas que você está realizando por mês e ver se o nicho escolhido está trazendo lucratividade.

Mas, se por ventura, seu negócio não der certo, não se preocupe, tente mudar seu nicho e recomece!

Clique aqui, fale com nosso especialista e tire suas dúvidas sobre o e-commerce!

 

Categorias
Uncategorized

Como o ERP pode auxiliar as empresas com as obrigações fiscais?

Como o ERP pode ajudar minha empresaAs obrigações tributárias ou responsabilidades fiscais são sinônimos de dor de cabeça para a maioria das empresas.  A quantidade de informações que você tem que acompanhar é extensa e toma uma boa parte do seu tempo.

Felizmente existem softwares de gestão que auxiliam o gestor na hora de cuidar da parte fiscal da empresa.  Para cumprir com todas as inteligências fiscais, é necessário contar com um software que esteja adequado à legislação e outras características decisivas para emissões de documentos fiscais.

Por que contar com um bom software?

As exigências fiscais estão o tempo todo mudando e sofrendo atualizações. Essas alterações e inovações, além de se mostrar em grande quantidade, têm um peso muito importante quando falamos de desenvolvimento do negócio e lucratividade.

Diante desse cenário, as empresas precisam confiar em um software de gestão, que não só te ajuda a se atualizar, mas também possibilita otimizar os processos de emissões de vários documentos fiscais com praticidade e segurança.

Confira algumas vantagens do ERP para ajudar no controle da parte fiscal de sua empresa!

Maior precisão na gestão contábil

Algumas empresas utilizam planilhas para o controle da contabilidade de sua empresa, mas o trabalho manual está mais suscetível a erros e interpretações equivocadas de informações.

Cuidar de informações tão importantes, como processos de escrituração fiscal, processos de vendas, notas fiscais, e outros, sem um sistema de gestão, é uma tarefa muito complicada e extensa. Isso interfere diretamente na tomada de decisão, pois pode ocorrer conclusões erradas.

O sistema precisa possuir funcionalidades suficientes para gerar automaticamente a contabilidade dos processos de vendas, financeiro, materiais e pessoais. Assim você vai ter segurança para se basear em demonstrativos e relatórios confiáveis e tirar conclusões mais precisas.

Redução de custos por meio da automatização de rotinas

Qualquer erro de lançamento pode prejudicar muito sua empresa, por isso, receber automaticamente os títulos de contas a pagar e a receber do estoque, compras, almoxarifado, faturamento e folhas de pagamentos, diminui significativamente o número de erros. Sem erros, a empresa não terá perdas.

Com o sistema ERP o trabalho com a geração de documentos é diminuído, sendo assim, sua empresa vai gastar menos com mão de obra e evitar sobrecarga de colaboradores.

Maior segurança das informações

É importantíssimo manter os dados contábeis em segurança, pois perde-los pode ter consequências muito negativas para a empresa. O vazamento de informações pode gerar terríveis dores de cabeça.

Por isso, alguns ERPs contam com banco de dados amplo e confiável e garante a segurança das informações.

Assim, é muito importante que a sua empresa tenha um conjunto flexível de soluções à sua disposição e integradas em um único pacote, como o CM-Retaguarda, para gerir os seus dados.

Entre em contato conosco e conheça todas as vantagens do nosso sistema CM-Retaguarda para sua empresa.

 

 

Categorias
Uncategorized

Como definir a precificação de produtos do e-commerce

Para criar um e-commerce existem várias etapas significativas, porém um dos momentos mais importante do negócio é o desenvolvimento da precificação e a escolha do mix de produtos.

e-commerce

A formação de preço depende de vários fatores, como público-alvo, oferta de valor da marca, planejamento estratégico da empresa, posicionamento, preço da concorrência, margem de lucro, etc.

Essa preocupação não é apenas de novas lojas virtuais, manter a estratégia de precificação de produtos equilibrada é um dos componentes imprescindíveis para a sustentabilidade do negócio, para manter seus itens competitivos e atraentes para os consumidores.

Atenção e cuidado ao definir os preços

Essa atenção especial se dá por dois motivos principais: a necessidade de cobrir gastos diários e fidelizar a clientela com valores competitivos.

O preço é um dos fatores que influenciam na hora da compra e qualquer preço julgado diferente, pode assustar o cliente e facilmente ele sai da sua loja virtual.

Para evitar perdas de potenciais clientes, é importante manter uma estratégia bem planejada para atrair e manter o consumidor.  Desta forma, a loja virtual pode entregar resultados satisfatórios sem correr o risco de entrar em dívidas ou baixar a qualidade do serviço.

Como precificar meu produto?

A grande dúvida da maioria dos empresários é como definir o preço dos produtos sem perder a lucratividade e a competitividade.  Confira essas dicas que vão tornar essa tarefa mais fácil.

 1- Saiba qual é o custo unitário

Para o comercio varejista, é natural a compra de grandes volumes de seus fornecedores. Depois esses produtos são vendidos em unidade para o cliente final. Para calcular o preço ideal, é preciso começar pelo custo unitário do produto, isto é, quanto você pagou pela unidade.

Divida o valor pago pelo número de itens que vieram no pacote. Por exemplo: Um lote com 100 camisetas custa 2,0 mil reais, logo, dividindo o custo por unidade, você pagou 20 reais em cada camiseta. Esse item é bem básico, mas fundamental para todos os outros passos!

2- Calcule as despesas fixas do empreendimento

Uma empresa só consegue prosperar quando mantem todas as suas contas em dia. Calcular as despesas fixas é uma das condições básicas para entender o se existe recursos suficientes para manter o fluxo de caixa, realizar investimentos e obter a margem mínima de lucro.

Por isso, na hora de precificar os produtos no e-commerce, é de extrema importância manter o equilíbrio, pois, se o valor do produto for muito baixo, pode comprometer o caixa da empresa em longo prazo.

3- Atenção ao preço da concorrência

Nos últimos anos, o e-commerce tem crescido no Brasil devido a fatores como maior acesso à internet e disseminação dos dispositivos móveis inteligentes.

Por conta desse crescimento, as pessoas têm muitas opções, com maior facilidade, para comparar os preços. E para manter seu negócio competitivo, é essencial entender o quais os valores os concorrentes estão praticando.

Se o preço dos seus produtos for muito maior, é provável que o consumidor vá atrás de outros sites, porém, se o valor estiver muito abaixo, o cliente pode desconfiar e entender que sua mercadoria não possui qualidade.

Isso não quer dizer que você precisa prejudicar seu negócio para derrubar a concorrência, mas sim, manter um equilíbrio para não ser injusto com o cliente e lucrar.

4- Estipule uma margem de lucro

É importante ter estipulado, desde o início, a margem de lucro desejada e usar essa informação para conseguir o preço do produto.

É importante manter os pés no chão e pensar em uma margem de lucro possível, principalmente no início de seu negócio. Quanto maior sua margem de lucro, mais caro o produto irá ficar e pode ser que fuja da realidade de seu cliente. Esteja atento a esse quesito!

5- Considere o poder aquisitivo de seu público-alvo

Saber qual é seu tipo de público-alvo não é importante apenas para a precificação dos produtos, mas também para fazer a sua estratégia de marketing.

Para saber quem é o público-alvo de sua empresa, faça uma breve pesquisa, converse com pessoas ao seu redor e crie segmentos.

Se seu consumidor possuir o poder aquisitivo menor, é importante o valor de seu produto não ser muito alto, porém isso não quer dizer que o preço precisa ser abusivo caso seu público-alvo seja considerado classe A.

Mais uma vez, é importante lembrar, que é preciso manter o equilíbrio.

Essas são apenas algumas das inúmeras dicas para definir o valor dos produtos de seu e-commerce. Utilize essas estratégias para atrair seus clientes e boa sorte nas vendas.

Precisando de ajuda para montar seu e-commerce, fale com nossa equipe de especialistas!